Seattle Seahawks vs Atlanta Falcons

[PRÉ-JOGO]

Lá vamos nós para mais uma batalha. O jogo é válido pelo Divisional Round e será nesse sábado às 19:35, contra o Atlanta Falcons, no Georgia Dome, casa do adversário. Além da vantagem de jogar em casa, os Falcons descasaram na rodada de Wild Card e estão mais recuperados fisicamente. O jogo será transmitido pelo Esporte Interativo e pela ESPN.

Quem acompanha a NFL como um todo, sabe que éramos favoritos contra os Lions na semana passada. E não é segredo nenhum que para a nossa próxima partida os Falcons assumem esse posto de favoritismo. Os principais motivos são o forte ataque de Atlanta, a inconsistência dos Hawks durante a temporada e o fato deles jogarem em casa. Mas isso não significa que o Seahawks não possui armas para vencer, como inclusive já fez nessa temporada na semana 6. Jogo que terminou 26 x 24 e teve muita polêmica de arbitragem. A diferença é que essa partida ocorreu em Seattle.

Outro grande jogo dessa rivalidade aconteceu na mesma situação que ocorre essa semana. Jogo Divisional dos Playoffs de 2012 em Atlanta, e não terminou tão bem para o Seahawks. A partida foi emocionante. Após iniciar o segundo tempo perdendo por 20 x 0, o então calouro QB Russell Wilson comandou a virada para 28 x 27 faltando 25 segundos para o fim. Mas Matt Ryan conseguiu posicionar o kicker, que virou o jogo para 30 x 27.

Após esse jogo muita coisa aconteceu até hoje e existem fatos interessantes na vida desses QBs. Nessa temporada, Wilson igualou Ryan como o QB a ter mais vitórias em seus primeiros cinco anos de carreira (56 vitórias). Aquele jogo é a única vitória que Ryan possui em playoff até hoje – são 5 jogos, 1 vitória e 4 derrotas – enquanto Wilson possui um excelente número de 11 jogos, 8 vitórias, 3 derrotas, 2 aparições no Super Bowl e 1 campeonato conquistado. Com certeza aquela derrota fez Wilson amadurecer. Se por um lado a temporada dos dois vem sendo o oposto (dados a seguir), fato é que nos playoffs a história é outra e temos muito para confiar em Russell.

RAIO-X DO ADVERSÁRIO

Ataque

Grande candidato a MVP, Matt Ryan foi o segundo QB com mais jardas aéreas do ano. Foram 4.944 jardas, 38 TDs e 7 INTs ao longo da temporada, alcançando sua melhor marca da carreira em TDs e menor número em intercepções (por outro lado, Wilson teve sua segunda pior marca em TDs e sua pior marca em INTs). A precisão dos passes de Ryan é fantástica e não possui muita habilidade com as pernas, por isso a pressão em cima dele é fundamental. Com esses números, Ryan levou o time a ter o melhor ataque da liga com uma média de 33,8 pontos por jogo.

O grande astro desse ataque é o WR Julio Jones, um dos melhores da liga. Ele possui 1.409 jardas e 6 touchdowns em 14 jogos – ficou de fora de dois jogos devido à contusão. No jogo da temporada regular ele conquistou 139 jardas e fez 1 TD. Além dele, possui outros dois ótimos WR: Mohamed Sanu e Taylor Gabriel. Juntos já receberam para 1.232 jardas e anotaram 10 TDs. Gabriel lembra muito o Tyler Lockett devido ao seu porte físico e ao estilo de jogo.

O Jogo terrestre de Atlanta foi o quinto melhor da liga e possui dois RBs muito eficientes. O titular é Devonta Freeman que anotou nada mais nada menos que 13 TDs (11 terrestres e 2 aéreos) e correu para 1.079 jardas. Coleman conquistou 520 jardas e fez 8 TDs. Além de bons corredores, recebem a bola muito bem e são opções no passe curto.

Defesa

A defesa dos Falcons sede muitos pontos e muitas jardas, mas possui o líder de Sacks da liga. Vic Beasley está no seu segundo ano de NFL e já superou grandes nomes quando o assunto é derrubar o QB adversário. No jogo corrido os Falcons sede em média 104,5 jardas/jogo, e deve ser explorada após o bom jogo de Thomas Rawls contra os Lions.

A secundária é jovem e também está possibilitando os adversários a conquistar bastante território. Possuem o quarto pior número da liga e cedem em média 266,7 jardas/jogo. No total possuem 12 interceptações, sendo 3 delas retornadas para touchdowns.

TRÊS JOGADORES PARA FICAR DE OLHO

1 – da mesma forma que Lockett, Gabriel também já anotou um TD corrido e é perigo quando se movimenta pouco antes do snap.

2 – o Safety Keanu Neal é calouro e tem uma relação de amizade muito forte com Kam Chancellor – até possui uma camisa assinada por ele dentro de seu armário. Neal vem jogando muito bem e se conseguir copiar o que o seu ‘irmão’ faz em campo, será um problema.

3 – O kicker Matt Bryant foi o autor do chute que eliminou o Seahawks em 2012. Está em uma ótima temporada e não pode receber muitas chances, pois há grandes chances de converter.

RECEITA PARA A VITÓRIA

Como dito acima, os Falcons são os favoritos para a disputa. Por isso, é fundamental que o time funcione bem em todos os fundamentos do jogo. Os passes em profundidade serão explorados e chegou a prova de fogo para Steve Terrell mostrar que pode ser FS campeão do Super Bowl. Os corners não podem mostrar fraquezas e serem queimados com facilidade. Principalmente no embate com Julio Jones – que deve ficar com Richard Sherman no cangote dele o jogo todo.

A linha defensiva também é fundamental para pressionar Matt Ryan no pass rush e parar o jogo terrestre. Uma coisa é certa. PRECISAMOS forçar o turn over. Seja com interceptação ou com fumble. Esse ataque de Atlanta pontua muitas vezes por jogo, pois tem recursos. Se deixar a bola na mão deles, eles irão avançar. Então a melhor maneira é não deixar a bola com eles e recuperar ela.

No ataque, tem que funcionar desde o início do jogo. A única vez que os Seahawks fizeram um TD na primeira campanha foi contra os 49ers na Semana 2. Pra ganhar de Atlanta precisa pontuar bastante, pois eles também marcarão pontos. Portanto, tem que estar ligado desde o início, sem apagões, como no ano passado.

Thomas Rawls tem a chance de confirmar a boa fase e correr contra essa defesa que é fraca contra o jogo corrido. Com os bloqueios funcionando, ele consegue correr 80+ jardas sem dúvidas. Ele é feroz, vai pra cima e quebra tackles.

A chance é muito boa para Russell Wilson explorar a secundária e fazer jogadas de profundidade. Paul Richardson está confiante e pode ser o alvo. Além disso, nosso QB precisa correr com a bola.
No jogo contra os Lions não foi necessário, mas se pegar o histórico de jogos é nítido ver como a defesa se comporta de maneira diferente quando Wilson conquista jardas terrestres. Ele precisa botar esse medo nos Falcons para ganhar mais tempo com a bola nas mãos.

Curiosidade: nas 5 aparições nos playoffs, Russell Wilson comandou o time a pelo menos ao jogo Divisional. E todos eles foram contra times da NFC Sul. O retrospecto até o momento é de 2 vitórias e 2 derrotas. É hora de desempatar esse jogo e fazer um 3-2.

GO HAWKS

Texto: Evandro Cavalcanti
Imagem: Página Oficial Seattle Seahawks.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: