Offseason em dois estágios.

Offseason em dois estágios.

O período da Free agency e do Draft estão as portas e com tudo que aconteceu temporada passada, os torcedores dos Seahawks estão eufóricos para ver as novas caras da franquia. Mas esses, são momentos de oportunidades únicas para cada franquia montar um roster competitivo sem comprometer a longevidade das contas da franquia.

Free Agency:

A Free agency é um momento de muito cuidado e estudo dos gastos. Seattle é conservador nesse aspecto e fico feliz por isso, boa parte do tempo. Muitas franquias implodem durante esse período da offseason. Contratos absurdos, com muito dinheiro garantido e jogadores que no fim das contas se tornam apenas prejuízo.

O Seattle Seahawks vive um grande dilema com sua linha ofensiva e isso não é um mistério para ninguém. Com seu franchise Quarterback sofrendo com lesões, muito por conta dos contatos excessivos cedidos pela linha ofensiva, Seattle precisará trabalhar minuciosamente para tapar seus buracos na linha.

Recentemente muitos bons jogadores de linha ofensiva foram disponibilizados no mercado por várias franquias, em especial, o mercado de Tackles deu uma grande encorpada. Okung e Giacominni, antigos jogadores dos Seahawks, Kevin Beachum, Ryan Clady, entre outros, foram dispensados e vem para a free agency procurando novas casas. Além desses jogadores já citados, Andrew Withworth, 35, Left tackle dos Bengals, manifestou vontade de ir para uma franquia “contender” de Super Bowl e Riley Reiff, Rick Wagner e alguns outros, ajudam a engordar a lista de tackles do mercado.

Com um mercado com um pouco mais de opções, e boas por sinal, Seattle e diversas franquias vão tomar cuidado para não gastar indevidamente com jogadores de nível similar. Essa encorpada do mercado deve ajudar a reduzir os valores de alguns desses jogadores. Jogadores como Ricky Wagner e Andrew Withworth vão encabeçar várias listas de free agents das franquias recebendo um valor na casa dos 9-10 milhões, que como já citamos, pode ser reduzida por essa profundidade de opções do mercado.

Principal peça para reconstrução da OL, Withworth seria uma aquisição de grande nível. Não perdendo um jogo se quer nas últimas 3 temporadas, o veterano poderia se peça chave para ajudar a desenvolver um LT do draft e a transmitir liderança para os jogadores jovens de nossa linha ofensiva.

Ricky Wagner é outra boa aposta, porém não é um veterano e joga no lado direito, o que poderia ser um investimento muito alto em um jogador de tal posição (RT). Giacominni ex-Seahawks poderia ser um investimento mais barato e seguro, garantindo boas finanças e a manutenção de outras posições.

Falando em outras posições, Seattle terá que buscar um jogador que poça acrescentar pass-rush no interior da linha defensiva. Dontari Poe deve sair do Chiefs e é uma boa opção, levando em consideração o custo benefício e o risco.

Bem mais caro, o veterano Calais Campbell poderia ser outro grande nome, formando o que talvez poderia ser uma das melhores DLs da NFL. Porém é um grande risco pagar algo em torno de 10-11 milhões para um jogador de 31 anos.

Outro ponto que precisamos reforçar é a secundária, mas com o tremendo talento de defensive backs deste draft, acredito que nada será feito quanto a CB e S nessa offseason.

 

Draft:

O draft desse ano vai ser um momento importante para o Seahawks. Com muitos problemas em diversas áreas e com apenas sete escolhas, Schneider terá que fazer um draft firme e certeiro para garantir uma franquia competitiva na próxima temporada.

Imaginando dois cenários ideias de Seattle, vamos fazer as possíveis 3 primeiras escolhas de Seattle:

– Suponhamos que Seattle tenha contratado Withworth ou outro bom LT na free agency.

– Minha primeira escolha ficaria entre o talentoso Tre’Davious White, Budda Baker (dependendo de suas medidas no Combine) e outro top-CB do draft (Quincy Wilson, Tabor, Sid Jones). Com as medidas ideais, White é um jogador excepcional para corner oposto a Sherman. Seu teste no combine pode ser definitivo para seu futuro, já que ele vem de lesão. Bakker é uma grande opção por jogar no slot e de FS.

– Minha segunda escolha ficaria entre Forest Lamp, Antônio Garcia e Haanson Riddick (LB de Temple). Os três tem bons números para serem jogadores dos Seahawks. Lamp é versátil, jogando de OG e OT (caso consiga nos mini-camps) é com certeza uma escolha que o Seahawks gostaria de ter por dois motivos. Primeiro que em nosso cenário, Lamp teria a ajuda de Withworth para se desenvolver e segundo por que ele tem versatilidade para ocupar duas posições que são problemas no Seahawks. Garcia é provavelmente o melhor PROSPECT de tackle do draft e com Andrew, seria interessante ver seu desenvolvimento. De longe a escolha que mais gosto, Riddick é um SLB, MLB, WLB, ou seja, joga nas 3 posições de Linebacker. Bom com o pass-rush, com o jogo corrido e com as coberturas, Riddick poderia ser uma escolha muito interessante para se ter no roster, ele é um “freak athlete”, muito enérgico e muito forte.

– Seattle vai ter 3 escolhas na terceira rodada, acredito que uma delas deva ser utilizada em um jogador hibrido de CB/S ou DE/DT. DeMarcus Walker de FSU, DT/DE seria um grande nome se caísse tanto. Para CB, Kevin King de Washington poderia ser uma grande adição para jogar de Slot.

As duas escolhas seguintes seriam referentes a primeira, caso DE/DT, a outra seria CB/S e OL.

 

O segundo cenário ideal seria Derek Barnett (quase impossível) cair para fora do top-20.

– A primeira adição poderia ser de um pass-rusher de qualidade, Barnett é esse cara. Com o recorde de sacks em Tennessee, Barnett é um “real deal” para a NFL.

– Desmond King ou Lamp/Garcia. King é um jogador muito atlético e com medidas interessantes, jogou por um bom tempo de CB, mas atuou muito bem de Safety temporada passada. Lamp e Garcia seriam alternativas.

– Terceira escolha ficaria com um OT. Erik Magnuson pode ser viável a essa altura. Um jogador cru, verdadeiro PROSPECT de RT, Magnuson pode vir a ser um bom tackle direito.

As outras escolhas ficariam por conta de DE/OLB e um WR.

 

No fim, tudo o que dissemos pode estar errado, mas os gastos seriam responsáveis e manteriam as contas da franquia “saudáveis”. O Draft seria a principal via de adição de talentos, apenas com gastos pontuais na Free agency. Brevemente saberemos o resultado disso tudo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: