Semana 12. Análise pós-jogo: Seahawks x 49ers

Primeiro quarto: As péssimas decisões tomadas por Russell Wilson.

O kickoff inicial é chutado para fora, o ataque de Seattle entra em campo e tem sua primeira campanha iniciada na linha de 40, algo esperançoso para um ataque que pouco produz nas suas campanhas iniciais. Então, vemos aquilo que se repete durante os jogos, e aconteceu, sobretudo, no primeiro tempo deste: RW3 e seu problema de segurar muito a bola. Algumas vezes vemos a mágica acontecer com seu improviso, em outras, vemos decisões erradas. Algumas delas acabam a campanha, como foi neste caso, com uma interceptação na primeira jogada da partida.

Durante todo este quarto, Wilson abusa dos erros. Veremos algumas outras jogadas a seguir:

  • Primeira jogada:

  • Segunda jogada:

  • Terceira jogada:

Segundo o Pro Football Focus, Wilson é o QB com mais scrambles após dropbacks para o passe. São 40 ao longo da temporada. À nível de comparação, o 2º colocado é DeShone Kizer com 32, e em 3º temos Carson Wentz e Tyrod Taylor empatados com 28.

 

Segundo quarto: a volta do read-option no TD e o trabalho do front seven.

Se teve algo que nos deixou esperançosos durante toda a partida foi a atuação da nossa defesa, sobretudo do front seven entre o final do primeiro quarto em diante, onde a unidade se destacou anulando quase que completamente o ataque de San Francisco. Os números apontam 4 passes defendidos, uma interceptação, 3 sacks, 7,5 tackles para perda de jardas e 20 pressões em 43 dropbacks para passe (46,5%). Sendo CJ Beathard o 4º QB mais pressionado da rodada.

Se do lado ofensivo dizemos que Russell Wilson é candidato ao MVP, do lado defensivo Bobby Wagner é candidatíssimo ao melhor jogador defensivo da NFL no ano de 2017. O LB é o melhor jogador de defesa ranqueado pelo PFF. Neste jogo Bobby acumulou 8 tackles (sendo 2 para perda de jardas), 1 passe defendido, 1 interceptação e cedeu apenas 11 jardas em 6 passes tentados em sua direção. Bobby is the real MVP!

A volta do read-option na jogada do TD será analisada nas imagens a seguir:

 

Terceiro quarto: a ascensão de Bradley McDougald.

Contratado durante a free agency, McDougald chegou para ser reserva na posição de FS, mas durante o camp e a pré-temporada, cavou sua chance em outros lugares. O mesmo foi muito bem utilizado no nickel (formação com 5 DBs) e no dime (formação com 6 DBs), e agora é nosso SS titular após a lesão de Kam Chancellor, e está cada vez mais habituado com a função e vem substituindo BamBamKam à altura, sendo uma peça crucial para acabar com algumas campanhas ofensivas do 49ers.

 

Último quarto: a insistência em Eddie Lacy.

Com o 21-6 na abertura do último quarto, a franquia de Seattle matou a partida e então só precisava gastar o relógio correndo a bola. Durante o jogo inteiro, McKissic foi mais eficaz do que Lacy quando esteve em campo: foram 29 snaps jogados com 8 toques (4 corridas e 4 passes recebidos para 46 jardas totais, média de 5.5 jardas por corrida e 6 por recepção). Contra inexplicáveis 35 snaps com 20 (!!!) toques (17 corridas e 3 passes recebidos para uma média de 2,7 jardas por corrida e 5 jardas por recepção) do RB camisa 27, ex-Green Bay. Thomas Rawls atuou em um único snap durante todo o jogo e não chegou a tocar na bola. Não é de hoje esse baixo rendimento dos nossos running backs, mas algo nítido é que não se pode mais insistir no erro, e este erro chama-se Eddie Lacy.

#GoHawks!

Deixe uma resposta