Semana 2: Seahawks @ Bears – Análise Tática

Por: João Pedro Pereira

Estamos na semana 2 da NFL, o Seahawks abre a temporada com duas derrotas, mas esse nem  é o maior problema. Além das derrotas, a franquia de Seattle acumula duas péssimas atuações, principalmente quando tratamos do lado ofensivo da bola, que é anêmico em ideias, extremamente previsível e executa mal.

As falhas se repetem, das escolhas do coordenador ofensivo aos jogadores dentro de campo, e aqui tentaremos mais uma vez explorá-las buscando entender porquê esse time não funciona.

 

Na jogada acima, iniciando um novo drive logo após a segunda interceptação de Shaquill Grifin, observamos um erro gravíssimo. O desenho da jogada é o seguinte: OL executa um zone block para a esquerda, enquanto Wilson faz um play action com o RB seguido de um scramble para a direita e buscaria algum recebedor livre para o passe. E onde está o problema? Nesta situação Kalil Mack, um dos melhores defensores da Liga passa livremente pela OL e no momento do scramble, Russell Wilson vai direto ao encontro dele, que de imediato empurra Wilson para a zona de pressão e outros jogadores da defesa efetuam o sack com extrema facilidade. Perda de jarda. Nas jogadas seguintes vemos um sequência de corrida sem ganho, false start, passe incompleto e punt. Já seria a segunda vez que a equipe desperdiçaria um turnover.

 

Faltando 1 minuto e alguns segundo para o fim do primeiro tempo, vimos, talvez, uma amostra do que pode ser uma unidade ofensiva funcional: a bola precisa sair rapidamente da mão de Wilson, não dando tempo, assim, de que a linha adversária chegue até o QB e diminuindo os erros da OL com um trabalho mais simples. Em situação “emergencial” o a ataque aparece ter funcionado. Por falta de tempo, a campanha terminou em um Field Goal de 56 jardas convertido.

 

O terceiro quarto passou sem tanta movimentação, a defesa seguia se esforçando para segurar o Bears e o ataque pouco criativo perdia várias oportunidades de empatar a partida. No último e decisivo quarto, a oportunidade apareceu. O Bears vencia por 7 pontos de vantagem (17-10), bastava um TD para empatar e crescer na partida em busca da primeira vitória na temporada, mas foi aí que a falta de criatividade e mal execução de uma jogada definiu o jogo para a franquia de Chicago. Backfield vazio, 5 recebedores, o RB Rashaad Penny alinhado como wide out pela esquerda. A bola iria em direção ao RB, que executou uma péssima rota hitch, com preguiça e sem atacar a bola. E como bem observou o analista do Chicago Bears, Kevin Fishbaim (@kfishbain), a chamada já tinha sido executada na semana 1 contra o Denver Broncos. Aí ficou fácil para o CB Prince Amukamara, que mostrou que havia estudado bem o adversário ao interceptar o passe e o retornar para touchdown. E ainda debochou nas redes sociais…

No primeiro gif, vemos a pick-six, no segundo vemos uma chamada parecida no segundo quarto. Nas imagens vemos a repetição da chamada contra o Denver Broncos.

 

Aí, na previsibilidade das chamadas do nosso coordenador ofensivo, o jogo foi decidido.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: