Semana 3 – Seahawks x Cowboys – Análise Tática

Por: João Pedro Pereira 

Alívio! É isso que sentimos após uma vitória, principalmente, quando essa vitória só vem na terceira semana da temporada. Agora é hora da ilusão. Se antes teríamos a primeira escolha do draft 2019, agora já estamos procurando ingresso pro próximo Super Bowl (mesmo sem ter um real na carteira…). Sem tanta enrolação, vamos ao que interessa. Vamos entender essa vitória de dentro de campo.

 

Defesa:

O primeiro quarto da partida foi pouco movimentado, mas algo já chamava a atenção: o trabalho do Front Six (DLs e LBs). Sim, Front-6, visto que o Seahawks joga com 5 DBs. Alguns ajustes foram feitos para potencializar o que os jogadores tem de melhor. Frank Clark passou a alinhar como DE pelo lado esquerdo como mais liberdade para “caçar” o QB nos passes, enquanto Bobby Wagner fazia o “spy” em Dak Prescott, não permitindo assim que o QB adversário corresse com a bola ou cobria o RB Zeke Elliott. Esses ajustes permitiram uma maior pressão em Dak, deixando os QB muitas vezes sem saída, errando leituras e sendo obrigado a antecipar e errar lançamentos. Acompanhemos nos gifs abaixo:

As estatísticas mostram que o Cowboys teve 166 jardas corridas, um número alto, mas ao analisarmos o vídeo do jogo, entendemos o que permitiu isso: O front-6 conseguia forçar 2ªs e 3ªs descidas longas, logo a defesa recuava e dava espaço para ganho de algumas jardas corridas pelo Cowboys, mas que no fim das contas não davam em nada visto que várias campanhas acabavam em 3&Out.

Outra coisa que saltas aos olhos é a atuação dos Safeties. Earl Thomas III e Bradley McDougald estão jogando em altíssimo nível e mais uma vez ajudaram a decidir a partida. Thomas com 13 tackles, 2 interceptações, sendo uma no último quarto em momento crucial, e McDougald com 10 tackles, 1 tackle para perda de jarda e 1 fumble forçado também no último quarto.

(Aqui pra nós: McDougald colocou Ezekiel Elliott no bolso!!!)

 

Ataque:

Apesar do começo travado, conseguiu se soltar aos poucos. Leituras foram simplificadas, e os ajustes individuais também aconteceram do lado ofensivo. Chris Carson teve o primeiro jogo quebrando a barreira das 100 jardas da sua carreira, Brandon Marshall foi mais utilizado em bolas de segurança fazendo recepções com o seu corpo, Tyler Lockett teve sua velocidade explorada em bolas longas com marcação homem-a-homem, houve uma melhor combinação de rotas e o principal: a bola estava saindo rápido das mãos de Russell Wilson.

Começamos pela campanha do primeiro touchdown de Seattle na partida. A primeira descida conquistada por Chris Carson vem de uma combinação inteligente. Com a blitz de 6 homens + o FS bem no fundo, era lógico que seriam 5 homens do ataque contra apenas 4 da defesa, aí foi só tirar o CB daquele lado com uma rota pro meio do campo e o passe rápido para o RB Chris Carson.

Na jogada seguinte: touchdown! Wilson identifica o cover-3 no fundo e que a marcação do SS e um LB nas zonas laterais cobririam os recebedores no slot. A bola lógico foi em Jaron Brown que ficaria livre entre as zonas do fundo do campo com a sua rota seam.

     

 

No último quarto pudemos observar mais um touchdown com uma campanha muito bem trabalhada. Essa jogada para conquista de primeira descida evidenciou isto. Motion de Lockett para abrir a defesa e facilitar a leitura da cobertura, WR bloqueando, rota de Nick Vannett buscando a zona livre e passe rápido.

Finalizando, o TD veio através de uma read option, que não tinha acontecido nos jogos passados, mas que voltou nos trazendo alegria nesta semana. Passo à passo, vamos analisar o desenvolver da jogada.

     

Ainda há muito pela frente. Uma vitória não pode mascarar os erros e iludir. Mas vencer é sempre muito bom! #GoHawks

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: