Foi feio, mas foi! – Pós-jogo Semana 14

Não foi a partida mais linda do ano, tampouco pareceu com um jogo da NFL em 2018, mas o Seattle Seahawks venceu o Minnesota Vikings, na última segunda-feira (10), por 21 a 7, pela 14ª semana da temporada regular, e ficou muito próximo de garantir sua participação nos playoffs.

Na partida mais inoperante do ataque na temporada, a defesa de Seattle teve sua atuação mais dominante dos últimos tempos e garantiu uma vitória crucial para a equipe de Pete Carroll. Os Seahawks agora tem um recorde de 8-5, consolidando-se na 5ª seed da NFC.

Os 28 pontos combinados no placar não fazem jus à partida. Após 57 minutos de jogo, o confronto ainda estava 6 a 0 para Seattle, sem nenhuma das equipes conseguir anotar um touchdown.

Incompetência dos Vikings à parte, a defesa de Seattle foi gigante nas três linhas pela primeira vez na temporada. Sob comando do DE Frank Clarck e do DT Jarran Reed, a DL fez uma boa partida fechando os gaps para o jogo corrido e aparecendo bem no pass rush. Destaque também para Dion Jordan que conseguiu pressionar Cousins mais de uma vez e Jacob Martin que conseguiu o strip sack no fim da partida.

Entre os linebackers, mais uma partida inacreditável de Bobby Wagner. Após fazer tudo na vitória contra os 49ers, o capitão da defesa foi preciso mais uma vez nos tackles, sackou Cousins e conseguiu bloquear um FG (discussão da arbitragem à parte). O retorno do ILB Mychal Kendricks também foi um grande fator no confronto do MNF.

Na secundária, um show dos jovens Cornerbacks de Seattle. O rookie Tre Flowers fez mais uma boa partida, na cobertura e tackleando. O mesmo para Shaquill Griffin, que roubou a cena no 4º período com dois desvios que impediram recepções dos Vikings. Destaque, também, para o SS Bradley McDougald, que foi preciso ao desviar um passe na endzone em uma 4ª descida de Minnesota e para o Nickel Justin Coleman, que recuperou o fumble causado por Martin e retornou para a endzone.

Com a dominância defensiva, Seattle conseguiu passar 58 minutos de partida sem ceder pontos para os Vikings. Neste tempo, porém, o ataque da equipe pouco produziu. Na pior partida de Russell Wilson no ano, a unidade só conseguiu chutar dois field goals, em duas viagens sem sucesso para a red zone.

Antes do intervalo, Seattle teve, também, a bola nas últimas 15 jardas do campo e Wilson protagonizou uma interceptação bizarra, apenas sua sexta no ano, depois de escorregar e perder completamente o controle da jogada.

Com o desastre ofensivo, Russell acumulou algumas de suas piores marcas na NFL, como apenas 72 jardas passadas e um rating de 37.9. Mesmo terrível, o camisa 3, como sempre, conseguiu fazer uma jogada que mudou o rumo da partida, desta vez para o bem.

Nos minutos finais de partida, com o 6 a 0 no placar, Wilson saiu do pocket e correu para 40 jardas para colocar Seattle pela 4ª vez na red zone e posicionar a equipe para abrir duas posses de vantagem, fatal naquele momento da partida. No desenrolar da drive, o RB Chris Carson acabou anotando o TD com as pernas e o WR Tyler Lockett recebeu o passe para a conversão de dois pontos, deixando Seattle na frente por 14 a 0.

Logo na jogada seguinte veio o strip sack de Martin sobre Cousins e o retorno de Coleman para deixar o jogo 21 a 0. No garbage time, os Vikings anotaram o seu único TD da partida.

A vitória no MNF mostrou uma nova possibilidade para Seattle na temporada – ganhar com a defesa. Ao longo do ano, a discussão nos triunfos era se o grande responsável havia sido o jogo corrido ou a atuação de Wilson pelo ar. Por mais que seja preocupante o quão mal a unidade ofensiva foi no MNF, é interessante imaginar o teto desse time se ataque e defesa conseguirem jogar em seu máximo na mesma partida. Quem sabe nos playoffs?

 

Carroll recordista

Com a vitória de segunda-feira no MNF, o HC Pete Carroll chegou ao recorde de 87-53 no comando da equipe, tirando os playoffs, e se tornou o treinador mais vitorioso da história da franquia na temporada regular. Carroll já obtinha a marca considerando a pós-temporada.

 

Sem relaxar

A quarta vitória seguida deixou o clima ainda melhor em Seattle e a pós-temporada ainda mais próxima. Mesmo assim, ainda não há nada garantido e é preciso ter cuidado nas últimas três semanas. No domingo que vem, às 19h (horário de Brasília), os Seahawks enfrentarão o San Francisco 49ers em Santa Clara, e por mais que o time esteja apenas 3-10, eles venceram o Denver Broncos em casa no domingo e não devem ser desprezados. Após o confronto divisional, restarão apenas dois jogos em casa, contra Chiefs e Cardinals.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: