Pré Jogo: Arizona Cardinals x Seattle Seahawks

Após a vitória contra os Chiefs, num jogo eletrizante de MNF, o time de Seattle conquistou vaga na pós temporada. Apesar da conquista Pete Carroll não quer que o time entre desligado, até porque a partida poderá definir quem o time irá enfrentar nos playoffs ou os Cowboys, que já não é mais o mesmo da semana 3, ou a defesa dominante dos Bears.

Ataque

Apesar do discurso de Carroll como dissemos acima, ser de força total, não sabemos com quem iremos contar, eu deixaria Fluker e Sweezy de fora para recuperá-los. Carson também poderia ter uma folga, até para testar como Bo Scarbrough pode contribuir para o time. Além de dar chance a Pocic e Fant para terem mais tempo na primeira equipe. Para efeito de análise, utilizaremos os dados do time considerado titular.

O jogo corrido deve continuar sendo a proposta principal, já que o adversário é o time que mais cedeu jardas corridas até então (2.297), e também foi o que mais levou TDs corridos (23). Além disso é uma opção para tirar Chandler Jones, que lidera a equipe em pressões forçando o QB adversário a correr em 30% dos snaps, de “cima” de Wilson. Jones também é o terceiro em “atrapalhar” o QB em terceiras descidas, mas é um lobo solitário nessa defesa dos Cards.

Wilson é o quinto melhor em rating, no último quarto, apenas evidenciando o quanto ele é clutch, embora nesse jogo, não acho que precisaremos dessa habilidade. Apesar de um time fraco em busca da primeira escolha o time dos Cardinals tem dois bons nomes na secundária, o safety Baker e o CB Peterson, então evitar testá-los será uma bom maneira de evitar turnovers.

Quem sabe até podemos ver Hundley entrando em campo no segundo tempo?

Defesa

Se o ataque não parece ter grandes desafios, a defesa, principalmente a secundária, pode ver esse jogo como possibilidade de melhorar seus números. Rosen, levantado por muitos como o melhor QB dessa classe, teve muitas dificuldades durante esse ano. Não que isso seja culpa somente dele, maas os números são péssimos!

O ataque é o segundo com mais 3 and out, e se não fosse David Johnson e Larry Fitzgerald passaria totalmente despercebido. O WR é um dos mais produtivos no slot tendo 522 jardas sendo 141 após recepção, bom matchup contra Coleman, que vem tendo outro ano bom. No jogo aéreo, Kirk também uma ameaça, é um recebedor de muito potencial. Griffin vem numa ascendente e Flowers faz uma temporada muito boa.

Falando de Jhonson, no último jogo o time deixou livre algumas vezes o RB dos Chiefs livre para receber passe, o que não é uma boa ideia contra os Cards. Para isso Wagner pode ser usado para combatê-lo, o resto do corpo de LBs não é certo, Wright vem sofrendo com lesões e pode ser uma chance para deixá-lo de fora e dar chance a Griffin de tentar mostrar algo na defesa. Calitro e Mingo devem ter mais snaps em campo também.

Se a defesa dos Cards tem o terceiro em atrapalhar o QB, os Seahawks tem o primeiro: Frank Clark (digo e repito, paguem o homem!) somado a isso, Rosen é o segundo pior QB quando pressionado e tem também a segunda menor taxa de sucesso em terceiras descidas, além de ter sido sacado em 16 oportunidades no 3rd down. Clark vem jogando muito bem a temporada toda, mas deu uma diminuída no registro de stats, pode ter a chance de voltar a ter bons números, na sua busca de quebrar recordes. Dion Jordan que fez um bom jogo contra os Chiefs, esteve nos relatórios de lesionados durante a semana (como é de praxe) e não sabemos se vai a campo.

O calouro Green deve ter mais snaps para mostrar sua versatilidade, jogando por dentro e por fora (deixo anotado aqui, fiquem de olho nele, no ano que vem), juntamente com Jacob Martin quem vem se mostrando um bom speed rusher tem que aproveitar essas oportunidades para registrar e stats e melhorarem seus tapes. Entre os DTs, Reed sofreu com lesões durante as duas últimas semanas, então deixaria o DT de fora para recuperá-lo para a pós temporada, o que deveria dar chance para Nazair Jones mostrar o desempenho que teve ano passado e se manter no time. A grata surpresa Poona Ford, agora já é certo em campo e o time de Arizona terá que evitá-lo se quiser algum sucesso no jogo corrido.

Se a interceptação de Griffin, que foi algo que eu (e outros muitos) torci a temporada inteira, só veio no último jogo contra os Cards na temporada passada, quem sabe a interceptação do menino Flowers não pode chegar agora?

Go Hawks!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: