Salary cap e previsões de contratos!

Com a chegada de mais uma melancólica offseason, é hora de analisar o futuro. Baseado em artigos que li sobre a situação do cap de Seattle e sobre as grandes decisões a serem tomadas nesse período sem NFL.

 

Seattle tem diversos nomes free agents ou que estão em final de contrato. Mas para falarmos em renovações e/ou extensões, precisamos primeiro ver o quanto Seattle dispõe para gastar este ano.

 

Cap Bruto:

 

Sem considerar cortes ou qualquer outra coisa do gênero, Seattle tem um Cap de U$ 53 milhões aproximadamente. Essa quantia pode variar um pouco para mais ou um pouco a menos, porém, por enquanto essa é a quantia.

 

Cortes e Casualidades:

 

Seattle dispõe de algumas circunstâncias quase únicas de cap. Existem contratos que podem ser cortados sem muitos problemas, enquanto outros são um puro caso de sorte e condições externas.

 

Ed Dickson:

Dickson é um Tight End que sempre que exigido contribuiu muito bem, tanto nos bloqueios quanto no jogo aéreo. Porém, o contrato de Dickson é o mais  propenso a um corte, caso Seattle queira investir pesado na free agency. O jogador assinou por 3 temporadas e U$10,7M, nos quais U$3.6M são garantidos. O corte de Dickson pode render até U$2.8M de cap a Seattle.

 

Barkavious Mingo:

 

Mingo é uma aposta certa aqui. Apesar de ter poucos jogadores na posição de LB, existem inúmeros nomes melhores que Mingo por ai e seu contrato também o torna muito atrativo para um corte. Um eventual corte de Mingo, geraria U$3.3M de retorno para o cap o que pode ser muito interessante para as pretensões de Seattle.

 

Kam Chancellor:

De maneira quase utópica Chancellor ainda tem grande impacto no cap de Seattle. O Strong Safety teve uma lesão na coluna e não deve mais jogar. Pela estrutura de seu contrato, Kam tem direito a receber U$12M em caso de lesão, além de U$13M de dinheiro garantido em contrato, é uma quantidade consideravelmente alta de recursos, porém, pelo que parece U$6.8M desse valor foi colocado como salário base na temporada passada e U$5.2M virão em 2019. O valor garantido já não entra mais na conta aqui, pois ele já foi efetuado, o grande “problema” a se lidar é esse dinheiro garantido por lesão.

É uma utopia acreditar que esse dinheiro de 2019 estará disponível para Seattle. Kam teria que passar pelo teste físico diante dos peritos da NFL e ser declarado “apto a jogar”, só então Seattle poderia cortá-lo e recuperar um valor excepcional para o cap, designando como corte “pré-june 1”, que renderia incríveis U$8M ao cap da franquia, seria um deleite muito grande para a offseason.

 

Dentro dessas possibilidades, Seattle poderia trabalhar com números U$56 a U$66M (somente se Kam fosse cortado).

 

Mantendo os de casa em casa:

Earl Thomas não deve permanecer em Seattle, mas deixou claro o seu desejo de ser valorizado como o melhor Safety da NFL. Hoje, o maior contrato de Safety gira em torno dos U$13M-U$14M, algo bem plausível. Seattle tem apenas 4 escolhas no draft e não me parece uma boa alternativa ir ao mercado e/ou ao draft em busca de um safety este ano, talvez a renovação, mesmo conturbada, fosse o ideal.

Se pudesse chutar, diria que seria um contrato de 5 anos, com valores  entre U$70M e U$80M com 30-40% garantidos.

Um cap hit de 15-16M por ano. É isso o que você paga por um dos melhores da historia em uma posição estratégica.

 

Frank Clark é o próximo homem rico americano. Clark está inserido em um mercado amplamente concorrido por contratos inflados. Na pior das hipóteses para Clark, Seattle pode coloca-lo sob a Franchise Tag e ele ganhará U$17M. Diria que ele tem uma situação para lá de confortável.

Alguns especialistas, tem dito que com essa informação (franchise tag de 17M), Clark deve começar sua pedida na casa dos 24-23M e acabar fechando em torno de 20M por ano. Se John Schneider for capaz de fechar um longo contrato por um valor abaixo de 20M, quem sabe 18M, terá feito um trabalho incrível.

 

No campo da hipótese, acredito que o contrato será de 5 anos em um valor de U$100 a U$110M, com aproximadamente 40% garantidos.

Um cap hit anual entre U$20-22M por ano e um garantido entre U$40-44M.

 

Kj Wright vem de uma temporada frustrante para si próprio. O jogador passou maior parte da temporada fora por lesão, o que pode fazer seu mercado cair um pouco. Mas apesar disso, quando em campo foi capaz de gerar bom impacto o que pode fazer com que o jogador ainda tenha um mercado bem interessante. KJ é um risco, diria que sua renovação seria de 2 anos e U$18M, com 25% garantidos.

 

O cap hit seria de U$9M por ano com U$4,5M garantidos.

 

Justin Coleman é um dos nomes mais interessantes nesta lista. Preterido por Bill Belichick, Coleman vem de duas boas temporadas com Seattle, onde na ultima foi ERFA. O contrato de Coleman deve ser um pouco maior do que os U$3M da tender ano passado. Pelos analistas de cap e NFL, Coleman deve conseguir um contrato de 2 anos e U$13M com Seattle e em torno de 20% garantido.

Com isso, teríamos um cap hit de U$6,5M por ano e um total garantido de U$2.6M, o que parece bem razoável.

 

DJ Fluker e JR Sweezy vieram na offseason passada, e apesar do crescimento considerável da linha ofensiva de Seattle, muitos analistas ainda tem vários receios quanto aos dois jogadores. Seus mercados não devem ser muito agitados e a baixa procura pode ser um beneficio para Seattle. Contratos de 2 anos e U$5-6M parecem uma realidade apropriada e vejo com bons olhos as permanências, principalmente Fluker.

 

Esses seriam contratos leves e com cap hit de U$2 a U$3M por ano, com valor garantido quase 0.

 

Candidatos a extensão:

Russell Wilson é nome obvio aqui. Nosso QB está indo para o último ano de seu contrato e vem tendo temporadas cada vez melhores em números e aproveitamento. Wilson deve quebrar a barreira de um novo contrato na NFL, ele é merecedor de tal e seu técnico e seu GM devem intender isto.

Meu palpite?

Wilson vai conseguir 6 anos de contrato e U$204 milhões de dólares para passear nas férias com sua linda parceira. Ainda acredito que o valor garantido exceda aos 80%.

Alguns analistas que tenho lido, dizem que Wilson pode calmamente começar a negociar com Seattle na casa dos U$40M por ano e descer até o valor de 34-35M por ano. É um valor astronômico e bem real. O maior contrato de QB na atualidade pertence a Aaron Rodgers, U$33,5M por ano, U$134M totais e U$98M garantidos. É muito improvável que Wilson não bata esse valor, o que torna os 34-35M bem reais.

Dito isto, acredito que Wilson alcançará a marca de U$34M por ano, um contrato de U$204M sendo U$163M garantidos. É um valor, assustador meu amigo.

 

Bobby Wagner também está em seus momentos finais de contrato. O jogador que tem sido a principal peça defensiva de Seattle, é um importante fator na consistência defensiva que houve esse ano apesar das perdas.

 

O mercado de Linebackers não se mexeu muito desde a última renovação de Wagner, então, o acréscimo em seus dividendos será algo não muito grande.

Acredito em um novo contrato de 4 anos e U$56M, com um valor de 50% garantidos para o melhor jogador da defesa.

Isso implicaria em U$14M de cap hit anual e U$28M garantidos. E lógico, todos sairiam felizes.

 

Jarran Reed teve uma temporada surpreendente. Em seus primeiros anos mal conseguiu 2 sacks, essa temporada foram mais de 10. O jogador coloca seu nome entre os bons DT disruptivos da liga e 2019 é seu ano final de contrato.

Jason do Over The Cap acredita que Reed tenha um mercado de 14-15M anuais, com base em contratos anteriores. Se Seattle for capaz de antecipar a inflação no mercado de DTs, será uma grande vitória para a franquia.

Prevejo um contrato de 5 anos e U$70M, com 35-40% garantidos. Isso em números reflete em U$14M por ano e um garantido de U$24,5 – 28M, seria formidável ter a dupla Clark/Reed pelos próximos 5 anos.

 

Atingindo o mercado:

Seattle, dependendo de como mover-se com seus contratos, pode ir atrás de algum bom nome na free agency.

Defensive Ends:

Jadeveon Clowney,Demarcus Lawrence e Ezekiel Ansah são nomes que estarão no mercado, mas que Seattle necessitará demandar bastante dinheiro. Nos casos de Clowney e Lawrence, seus contratos devem girar na casa dos U$20-22M sendo um investimento bem pesado para o cap de nossa franquia. Ansah tem lampejos de qualidade, mas nunca viveu realmente uma consistência em sua carreira, cheia de lesões. Seu valor de mercado deve ser mais baixo, mas não acredito que seja algo tão inferior assim. Ansah deve conseguir propostas na casa de U$17-19M, o que ainda é bem pesado para Seattle.

Menos badalado e uma opção mais realista, caso não renove com Kansas City, Dee Ford deve ter menos holofotes do que os três primeiros e valer em torno de U$14-16M, um pouco mais dentro de nosso padrões deste ano.

 

Wide receivers:

Seattle vive uma angustia de recebedores. Tendo armas letais em Lockett e Baldwin, os outros recebedores são inertes e Will Dislly fez bastante barulho enquanto esteve por lá, mas não é um Wide Receiver, é um TE que nem sempre fará a função de receber.

O mercado de recebedores esse ano não me parece atrativo, mas um velho nome está no mercado. Golden Tate. Tate teve boa passagem em Seattle e continua muito produtivo. A grande questão é que sua pedida deve girar na casa dos 13-15M, o que inviabilizaria ao meu ver a adição do jogador.

 

Kicker:

Seattle sofre a algum tempo com a posição, e este ano tem um nome interessante no mercado. Caso não renove com New England, Stephen Gostkowski é um nome interessante, que deve ter ofertas na casa dos U$3-4M anuais.

 

 

Resta-nos esperar. A offseason já chegou e o frontt office deverá fazer um trabalho astuto para manter seus jogadores elite e ter um time competitivo, além de quem sabe, buscar um nome explosivo no mercado.

 

John Schneider tem pouco capital de draft e um valor relativo de cap, é possível reforçar os pontos fracos e manter todos os seus principais jogadores, mas para isto, terá que fazer seus malabarismos de seus anos auge.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: