Frank Clark, movimentação e implicações.

Uma grande aposta de Pete Carroll e John Schneider no draft de 2014, devido a problemas de violência domestica, praticamente havia sido excluído dos boards da maioria das franquias, o DE Frank Clark acaba de se transferir para a franquia de Kansas, e passa a ser o terceiro jogador de defesa mais bem pago da liga.

Sendo parte da rotação no ano de calouro, um pouco mais utilizado no segundo ano, brilhando em 2017, e se consagrando em 2018, Clark ao longo dos anos mostrou o porquê havia sido a aposta da equipe anos atrás, juntando velocidade, instinto, agressividade e força ideal pra lutar contra os tackles, Clark rapidamente se tornou o rosto do pass rush de Seattle pós Michael Bennet e Clif Avril.

Tendo todos esses predicados, obviamente se sabia que um grande contrato o esperava, afinal, na NFL a banda toca a mesma musica há anos, quanto mais seu jogador brilhar, mais pesado o seu contrato vai ficar, e se tratando dos Seahawks, isso claramente seria um problema.

Com a recente renovação astronômica de Russell Wilson, com a futura também altíssima renovação de Bobby Wagner, mais o contrato de outros jogadores chave, porem de peso menor, ficou inviável manter três atletas com salários de estrela, sendo Russ o franchise QB e dono da equipe, Bobby o melhor LB do jogo e cara defensiva da franquia, obvio que sobraria pro promissor defensive end de 25 anos.

O que tinha todos os elementos pra se tornar uma novela, acabou se encerrando ate que rápido, com nomes de possíveis interessados sendo ventilados ao longo da semana, acabaram sendo os Chiefs o destino, sendo assim eles enviam, 1rd 2019 + 2rd 2020 + 3rd 2019, Seattle envia Clark + 3rd 2019. Ora, foi uma grande movimentação por parte de Seattle, talvez nem tanta por parte de Kansas, porém, se observarmos que a equipe de Andy Reid está mudando seu esquema defensivo de 3-4 pra 4-3, isso explique a saída recente do também excelente Dee Ford, e a aquisição agora de Frank Clark, novo esquema defensivo é a explicação, também deve se levar em consideração a diferença de idade de ambos, tendo Ford 28 enquanto Clark 25, e sim, 3 anos é uma grande diferença na NFL.

Em linhas gerais, poderíamos dizer que sim, a aquisição saiu cara pros Chiefs, mas faz sentido se observamos a questão do novo esquema, e o fato de que obter um DE já desenvolvido capaz de jogar muitos snaps por jogo, faz muito mais sentido pra uma equipe que está na corrida pro SB, do que pegar um jogador cru no draft e esperar seu pleno desenvolvimento, lembrando que na pick originaria de kansas, 29, não haverão nomes que possam valer um Frank Clark.

Já do lado de Seattle, o que já era uma necessidade, conseguir um companheiro de pressão para Clark, agora com a saída do mesmo, se torna uma questão de sobrevivência, precisamos urgentemente de um pass rusher de qualidade, no momento temos os DEs Rasheem Green, Branden Jackson, Cassius Marsh, Jacob Martin, ou seja, meus amigos, temos um problema, na verdade, um problema seríssimo, que não enfrentávamos há muitos anos, neste exato momento, qualquer linha ofensiva que jogue contra a gente, parecerá uma unidade onde todos são All Pros (claro, exceto o excelente Jarran Reed, não temos muita coisa mais no que diz respeito a pass rush), precisamos de movimentação. É sabido que com a saída de Clark, abrimos 22milhoes de espaço para extensões e free agentes, quem sabe ai n resida parte da nossa solução, sim, porque a outra parte tem de ser via draft, temos bala pra isso agora, o que menos precisamos nesse momento é das peripércias de Pete Carroll e John Schneider no dia, e sinceramente meus caros leitores, com experiência vos falo, não duvidemos.

GO HAWKS!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: